Essencial mesmo é saber priorizar o que importa… …e eliminar todo o resto!

3C1A2691

Reflexões a partir da leitura do livro “Essencialismo: a disciplinada busca por menos”, de Greg McKeown

A vida que levamos atualmente faz chegar até nossos olhos e ouvidos, a cada segundo, um turbilhão de informações. Já não sabemos se lemos as notícias que são atualizadas 3 vezes por minuto, se checamos nossa caixa de email, se escrevemos o relatório do trabalho, se assistimos ao vídeo do youtube recomendado pelo melhor amigo, se buscamos inspirações no instagram e no pinterest, se acompanhamos a vida de nossos ídolos no Snapchat ou se respondemos às 135 mensagens não lidas dos 15 grupos do whatsapp dos quais fazemos parte.

Ufa. Aposto que você ficou exausto só de pensar em ter de decidir entre tantas coisas, não é mesmo? E isso acontece durante cada um dos 57.600 segundos do nosso dia (considerando que já eliminamos as 8 horas em que devemos estar descansando). Pois é. Por mais exaustivo que possa parecer, é nesta sociedade em que estamos inseridos. Vivemos uma sobrecarga de informações; e isso, muitas vezes, nos deixa perdidos. Perdemos o foco, não sabemos definir o que priorizar. Não definimos, no meio de tudo o que “ a sociedade da abundância” nos quer oferecer, o que realmente importa, o que realmente é essencial para nossas vidas.

É exatamente a respeito disso que Greg McKeown fala em seu livro. E o livro é mesmo quase um bate-papo. Uma leitura leve e agradável, recheada de bons exemplos reais, incluindo o do próprio autor.
Escolher, diante desse cenário, é o primeiro passo. Definir o que nos faz bem, o que está alinhado ao nosso propósito maior de vida. Filtrar.

Muitos de nós, porém, ainda não paramos para refletir acerca de qual é, realmente, o nosso objetivo, nossa missão neste mundo. E ele nos convida a fazer essa reflexão. Sem ter esse propósito muito claro, a tendência é que continuemos a nos perder no emaranhado de informações desconexas e inúteis que chegam até nós. E, se nós mesmos não escolhermos quais são AS NOSSAS prioridades, abrimos brecha para que, indiretamente, outras pessoas as definam. Assim, mesmo sem nos darmos conta, tornamo-nos escravos de princípios e propósitos com os quais não nos identificamos, que são alheios a nossas convicções.

O mais interessante no texto de Mckeown é que sua teoria se aplica a todas as áreas de nossas vidas. Devemos começar pelo pessoal. Definir o que é prioridade. Família, trabalho, dinheiro, tempo livre? Quais são nossos reais valores? E será que estamos vivendo em sintonia com eles?
Quando temos a clareza do nosso real propósito, aprendemos a dizer NÃO. Dizer não a 90% do que não nos servirá. E escolhemos apenas aqueles 10% essenciais para concretizar o propósito maior que definimos. Só assim poderemos dedicar energia e tempo de qualidade ao que realmente vale à pena.

Os passos são simples, mas não necessariamente fáceis:
1. explorar, fazer uma viagem interna;
2. avaliar o que é verdadeiramente importante;
3. eliminar todo o resto;
4. executar um plano;
5. não desviar da rota; ter disciplina;
6. remover obstáculos e criar uma rotina.

Ele reitera a necessidade de descartar tudo o que não nos serve. Toda a tralha de coisas materiais que acumulamos durante toda a nossa vida e que, na maior parte das vezes, não nos traz qualquer sentimento de alegria. É a mesma linha de pensamento de Marie Kondo, autora do livro “A mágica da arrumação” (se quiser ler uma resenha deste livro, clique aqui), que defende a necessidade de nos desfazermos de tudo o que não nos traz genuína felicidade.

Ao definir o que é prioritário, segundo nosso propósito, devemos também entender que dormir bem e se divertir são essenciais para o nosso bem-estar emocional e físico (ainda que a sociedade queira nos transformar em máquinas de dormir pouco, trabalhar excessivamente e limitar nossos momentos de prazer aos finais de semana e às férias).

Disciplina e rotina também são fundamentais para conquistar uma vida focada no que realmente importa (se você quiser descobrir as 5 dicas para ser mais disciplinado, clique aqui para receber o meu ebook). Em resumo, devemos mudar nossa maneira de pensar (“mindset”). Devemos querer ser diferentes, ser pontos fora da curva, pois, somente assim, seremos nós mesmos, descobriremos nossa verdadeira essência e poderemos desfrutar a alegria de viver em sintonia com o nosso propósito.

Se você também é um buscador e deseja receber doses semanais de inspiração para cultivar o equilíbrio em sua vida, cadastre-se para receber nossa Newsletter:

Sobre o Autor Ver Todos os Posts Website Autor

Lara Lobo

Sou, assim como vocês, uma buscadora! Curiosa, viajante, fotógrafa amadora e praticante de tudo o que traz equilíbrio à vida. Escritora por terapia, comunicadora por vocação, estudiosa por paixão. Engajada em conhecer-me cada vez mais e, assim, poder ajudar cada vez mais pessoas a também se conhecerem. Alguém que anseia partilhar caminhos, reflexões, jornadas e hábitos que conduzam a uma vida mais equilibrada. Diplomata e professora de Yoga por amor.

  • Mara Carneiro

    Lara, amei o post. Parece que você estava na minha conversa ontem com a Nara! :* Muito sucesso para você!

  • Lara, seu blog está maravilhoso!! Quanta riqueza de conteúdo, harmonia de cores, beleza, arte e sensibilidade!! Uma contribuição indubitável para quem quer investir em si mesmo e ter qualidade de vida! Aproveitei bastante e desejo o mesmo a todos que o visitarem.

    Parabéns!!!